APE - Associação Portuguesa de Escritores
Eventos

25 de Novembro - 19h15 - Biblioteca do Palácio Galveias
Entrega do Grande Prémio de Conto ao escritor Mário de Carvalho

Iniciativas Dos Sócios

Ernesto Rodrigues  

Maria Alcina Adriano  

Carlos Alberto Machado  

João Pedro Mésseder  

Daniel Sampaio  

Lídia Borges  

João Barrento  

João António Franco  

Luís Nunes Martins  

Angelino Pereira  

Zélia Chamusca  

Afonso Cruz  

Breves

Patrick Modiano vence o Prémio Nobel da Literatura 2014.

Colectânia de textos de 90 autores associados da APE
A. do Carmo Reis, Adelaide Graça, Adriano Augusto da Costa Filho,  
Afonso Cruz, Alfredo Luis O. Luz, Álvaro de Oliveira, Amadeu Baptista,  
Andrade Santos, Anto Affonso, António Augusto Menano, António José  
Borges, António José Fernandes, António José Santos Branco, António  
Sá, António Souto, Armando Cardoso, Augusto Deodato  Guerreiro,  
Aurelino Costa, Carlos Brito, Carlos Vale Ferraz, Cláudio Lima,  
Conceição Oliveira, Cristino Cortes, Domingos Lobo, Eduardo Aguaboa,  
Eduardo Olímpio, Fátima Pitta Dionísio, Fernando Bento Gomes, Fernando  
Grade, Fernando Miguel Bernardes, Fernando Morais, Fernando Rovira,  
Francisco do Ó Pacheco, Graça Pires, Gracinda Sousa, Hélia Correia,  
Henrique Garcia Pereira, Henrique Madeira, Isabel Antunes, Isabel  
Rainha, Jacinto Rego de Almeida, João Alves da Costa, João Apostolo,  
João Pedro Mésseder, João Rasteiro, João Rui de Sousa, Joaquim Murale,  
José Correia Tavares, José do Carmo Francisco, José Emílio-Nelson, José  
Miguel Noras, José Rodrigues Dias, José Viale-Moutinho, Júlia Nery,  
Julieta Monginho, Liberto Cruz, Luís Eugénio Ferreira, Luís Graça, Luís  
Souta, Luís Vendeirinho, Luís Vieira da Mota, Luísa Ducla Soares, Manuel  
dos Santos Serra, Manuel Fortuna Martins, Manuel Frias Martins, Manuel  
Simões, Maria Alcina  Adriano, Maria do Céu Silva, Maria do Sameiro  
Barroso, Maria Toscano, Maria Virgínia Monteiro, Mário de Carvalho,  
Marta Fialho, Miguel Barbosa, Miguel Raimundo, Miguel Real, Nicolau  
Saião, Nuno Vicente, Orlando Soares, Paulo Jorge Brito e Abreu, Paulo  
Sucena, Pires de Sousa , Rogério Pires de Carvalho, Rui Carlos Souto,  
Sérgio de Sousa, Teresa Martins Marques, Vergílio Alberto Vieira, Vitor-
Luís Grilo, Zélia Chamusca, Zulmira Bento.  
FERNANDO GUIMARÃES VENCE
a 1.ª edição do GRANDE PRÉMIO DE POESIA  
TEIXEIRA DE PASCOAES APE/C.M. DE AMARANTE

Um júri constituído por António Mega Ferreira,  
Fernando J. B. Martinho e José Manuel Mendes,  
decidiu, por unanimidade, atribuir o Grande Prémio  
de Poesia Teixeira de  Pascoaes APE/C.M. de  
Amarante ao livro "Os Caminhos Habitados", de  
Fernando Guimarães (Ed. Afrontamento/2013).

Da acta destaca-se: “…é um livro que exprime, na  
renovação e no aprofundamento, a consistência de  
toda uma obra, aqui conseguida segundo uma  
precisão até organizativamente notável. Desde o  
título, este conjunto de textos regressa à energia dos  
tópicos nucleares do seu percurso, a habitação do ser,  
o saturnianismo dos dias, sempre elaborado com uma  
exigência formal e uma concisão e densidade raras na  
poesia portuguesa contemporânea.

Nesta 1.ª edição da Grande Prémio de Poesia  
Teixeira de Pascoaes com a coordenação da  
Associação Portuguesa de Escritores e com o  
patrocínio da C. M. de Amarante, foram a título  
excepcional, incluídas as obras saídas nos anos de  
2011, 2012 e 2013.

Fernando Guimarães nasceu a 3 de Fevereiro de  
1928, natural do Porto, é poeta, ensaísta, tradutor,  
e foi já distinguido com outros dois galardões  
atribuídos pela Associação Portuguesa de  
Escritores, pelas suas obras «O Anel Débil» (1992)  
e «Na Voz de Um Nome» (2006).

O valor deste Grande Prémio é no montante de  
€12.500,00 (doze mil e quinhentos euros).

A cerimónia de entrega do prémio será  
oportunamente divulgada.
Exemplares limitados, disponíveis nas instalações da APE
O Grande Prémio de Literatura Biográfica 2012/2013 foi atribuído ao livro “Acta
Est Fabula – Memórias I – Lourenço Marques (1930-1947)” (editora Opera
Omnia), da autoria de Eugénio Lisboa.
Deliberando por unanimidade, o júri foi constituído por José Correia Tavares,
que presidiu, António Cândido Franco, Isabel Cristina Rodrigues e Teresa
Martins Marques.
Dotado com 5.000 euros, e tendo o patrocínio, exclusivo, da Câmara Municipal
de Castelo Branco, este galardão, bienal, admitiu ao concurso 44 obras de
escritores portugueses, publicadas por 26 editoras, nos domínios da biografia
e autobiografia, de memórias e diários.
Nas suas três últimas edições, o Grande Prémio de Literatura Biográfica da
APE galardoou “Diário Quase Completo”, de João Bigotte Chorão, “Biografia
de Eça de Queirós”, de A. Campos Matos, e “Tempo Contado”, de J. Rentes
de Carvalho.
NOTA BIOBIBLIOGRÁFICA DO AUTOR PREMIADO
Nascido em Lourenço Marques (Moçambique), em 1947, vai para Lisboa por força da sua formação académica
e das obrigações do serviço militar. Licenciou-se em 1953 em Engenharia Electrotécnica, pelo Instituto
Superior Técnico. Em 1976, vai para França onde é adjunto do director mundial de exploração na Compagnie
Française des Pétroles. O ramo petrolífero foi a sua especialidade profissional durante vinte anos (1958-78).
Mas, entre 1974-78, acumulou essa actividade com a docência, que exerceu nas Universidades de Lourenço
Marques, Pretória (1974-75) e Estocolmo (1977-78), onde regeu cursos de Literatura Portuguesa. Na Suécia
foi também o coordenador do ensino da língua portuguesa. Diplomata, exerceu, durante dezassete anos
consecutivos (1978-95), o cargo de conselheiro cultural junto da Embaixada de Portugal em Londres e presidiu
à Comissão Nacional da UNESCO de 1996 a 98.
Crítico e ensaísta, dedicou exigente atenção à obra de José Régio, a partir de José Régio: Antologia, Nota
Bibliográfica e Estudo (1957). Ainda em Moçambique, co-dirigiu com Rui Knopfli cadernos literários de jornais
desafectos ao regime, casos de A Tribuna e A Voz de Moçambique. A generalidade dos ensaios que escreveu
e publicou em Moçambique foram coligidos nos dois volumes de Crónica dos Anos da Peste (1973 e 1975;
tomo único desde 1996). Fez teatro radiofónico no Rádio Clube de Moçambique, a partir de textos de Jean
Racine, Ibsen e José Régio. Colaborou em numerosas revistas e jornais moçambicanos – Diário de
Moçambique, Notícias da Beira, Objectiva, Paralelo 20 – e portugueses – Jornal de Letras, A Capital, Diário
Popular, O Tempo e o Modo, Colóquio-Letras, Nova Renascença, Oceanos, Ler, entre outros. É professor da
Universidade de Aveiro.
É Doutor Honoris Causa pela Universidade de Nottingham, do Reino Unido (1988) e pela Universidade de
Aveiro (2002). Foi distinguido com o grau Oficial da Ordem do Infante D. Henrique.
Eugénio Lisboa usou os pseudónimos Armando Vieira de Sá, John Land e Lapiro da Fonseca.
GRANDE PRÉMIO DE LITERATURA BIOGRÁFICA
APE/CÂMARA MUNICIPAL DE CASTELO BRANCO - 2012/2013
Livros de ensaios e recensões
Crónica dos Anos da Peste  I e II
O Segundo Modernismo em Portugal
José Régio  Uma Literatura Viva
Poesia Portuguesa  do «Orpheu» ao Neorrealismo
As Vinte e Cinco Notas do Texto
José Régio ou A Confissão Relutante
O Objeto Celebrado
Portugaliae Monumenta Frivola
O Essencial sobre José Régio
Indícios de Oiro
Um júri, constituído por José Correia Tavares, que presidiu, Annabela Rita,
Cândido Oliveira Martins, José Manuel de Vasconcelos, Teresa Carvalho e
Vergílio Alberto Vieira, reunindo hoje, pela 3.ª vez, deliberou, por unanimidade,
atribuir o Grande Prémio de Romance e Novela APE/ Direcção-Geral do Livro,
dos Arquivos e das Bibliotecas - 2013, ao romance Que Importa a Fúria do
Mar, de Ana Margarida de Carvalho (Teorema).
Os 107 livros admitidos ao concurso – 2.º valor mais alto de sempre, em 32
anos consecutivos –, de 72 homens e 32 mulheres (3 autores, com 2 livros
cada), têm a chancela de 54 editoras, um recorde absoluto.
Nas suas 32 edições, o Grande Prémio de Romance e Novela da APE, dotado
com 15 000 Euros, já galardoou 28 autores, de 18 editoras, havendo apenas 4
que bisaram: Vergílio Ferreira, António Lobo Antunes, Agustina Bessa-Luís e
Maria Gabriela Llansol.
É patrocinado pela Direcção-Geral do Livro, dos Arquivos e das Bibliotecas,
Câmara Municipal de Grândola, Fundação Calouste Gulbenkian, Imprensa Nacional-Casa da Moeda, Instituto
Camões e Sociedade Portuguesa de Autores.
NOTA BIOBIBLIOGRÁFICA DA AUTORA PREMIADA
Ana Margarida de Carvalho nasceu em Lisboa, onde se licenciou em Direito e viria a tornar jornalista,
assinando reportagens que lhe valeram sete dos mais prestigiados prémios do jornalismo português, entre os
quais o Prémio Gazeta Revelação do Clube de Jornalistas de Lisboa, do Clube dos Jornalistas do Porto ou da
Casa da Imprensa. Passou pelas redacções SIC e publicou artigos na Revista Ler, no Jornal de Letras, na
Marie Claire e na Visão, onde ocupa, actualmente, o cargo de Grande Repórter, e faz crítica cinematográfica
no roteiro e no site de cinema oficial da revista Final Cut. Leccionou workshops de Escrita Criativa, foi jurada
em vários concursos oficiais e festivais cinematográficos e é autora de reportagens reunidas em colectâneas,
de crónicas, de guiões subsidiados pelo ICA e de uma peça de teatro. Que Importa a Fúria do Mar é a sua
estreia no romance.
GRANDE PRÉMIO DE ROMANCE E NOVELA
APE/DIRECÇÃO-GERAL DO LIVRO, DOS ARQUIVOS E DAS BILBIOTECAS - 2013
jQuery Mega Drop Down Menu Plugin v 1.2